Texto

Alegria, Alegria

21:30


Se tem uma coisa nessa vida que eu amo são as surpresas, mas não precisa ser daquelas enormes e bem elaboradas não. Gosto das surpresas daqueles dias que parecem que não vão prometer nada nadinha e que, assim, pluft! vira um dia memorável, gostoso, cheio de risadas e mais uma memória gostosa para guardar na memória para lembrar nos dias cinzas. 

Gosto daqueles dias que parecem que são mais do mesmo e que acabo ganhando um presente, uma visita inesperada, uma companhia pros mesmos programas de sempre (mesmo quando esse programa é estudar). 

Eu acho que sou meio viciada em juntar alegrias pequenininhas só pra espantar os cinzas que teimam a aparecer de vez em sempre. Gosto de lembrar do desenho mal feito que fiz no quadro branco do meu namorado, ou de lembrar de alguma história com algum amigo, ou de ouvir uma música gostosa no rádio do carro e não perder a oportunidade de me balançar no carro - mesmo que todo mundo nos carros ao redor me ache meio louca. 

O que eu mais gosto é cada vez mais aparecem esses momentos gostoso de guardar na memória: daquele sabor novo de milkshake a uma visita inesperada no meio da tarde, um livro que ganhei de surpresa, ganhar uma barra de chocolate (ou o ovo de páscoa) do meu tipo de chocolate favorito ou o inicio de uma viagem super planejada. O abraço do meu aluninho de 9 anos me agradecendo pelo doce que dei. Um riso conjunto com meus pais. Um abração de urso apertado do meu namorado. 

Como eu sou feliz. E obrigada a vida, ao universo e a Deus por me mostrar isso com tanta frequência. 

Filmes

O quarto de Jack - O filme que tomou meu coração

17:50

Preciso começar esse post dizendo o seguinte: Nada que eu escrever aqui vai realmente contemplar as emoções sentidas durante a sessão do filme. Acho que só é possível entender tudo o que eu quis dizer nas próximas linhas se você também assistir esse filme. Então, por favor, assista o Quarto de Jack assim que possível.



Preciso começar esse post dizendo que tenho uma relação afetiva muito forte com a história: Li o livro há uns cinco anos e, posso dizer com muita certeza, que poucos livros conseguiram tocar tão fundo, me deixar tão pensativa e com tanta vontade de contar ao mundo a história que eu li.

A história começa nos dando a dimensão do Quarto: Um cômodo muito pequeno, com poucas coisas funcionando mas, que para Jack é o mundo e para sua mãe, a prisão. Para mim, uma das grandes coisas da história está nisso: a mãe do garoto faz com que ele acredite que o mundo é o quarto, e que qualquer coisa lá fora, é apenas mentira que eles vêem na TV minúscula que tem no cômodo. 

A mãe do garoto foi sequestrada aos 17 anos, numa circunstância que lembra alguns casos policiais que vimos há alguns anos (aqui e aqui) e mesmo tendo um filho com o seu sequestrador, ela não permite que o mesmo tenha contato com a criança, mantendo Jack dentro de um armário durante todo o tempo em que o sequestrador está no quarto. 

Mas, conforme Jack vai crescendo, Ma (como a mãe é chamada pelo garoto) começa a desconstruir o mundo que criou para o filho, e monta um arriscado plano de fuga. Com muito choro de Jack e muitos momentos de apreensão vamos sendo conduzidos ao ápice do filme: a fuga. 

Os momentos iniciais de Jack do lado de fora do quarto, suas sensações e como ele percebe o mundo é como se ele renascesse. O reencontro com sua mãe fora do quarto e todo o novo caminham que eles precisam trilhar juntos é comovente. 


Queria poder contar muito mais da história mas não quero lotar o post todo de spoilers. A atuação  de Jacob Tremblay como Jack é incrível! Eu realmente não imagino como foi filmar com ele, como o explicaram as cenas e tudo mais, porque ele é brilhante em cena (em algumas delas eu quase fui às lágrimas). A atriz que faz Ma, Brie Larson, também não deve nada a ninguém na sua atuação tanto que levou a estatueta do Oscar desse ano. Por mim, o filme levaria em todas as outras categorias que concorria, mas não mando em nada lá em Hollywood. 

Então, mais do que recomendo que todo mundo que está lendo esse post vejam o filme e leiam o livro. É uma história que, de fato, é barra pesada, mas que é tão impar e tão brilhante que vale a pena. 

Trailer do filme: 




Trailer do livro 

Filmes

3 filmes com Anne Hathaway

17:00

Imagem via

Vai dizer que você nunca assistiu um filme com ela? Acho pouco provável. Afinal, a Anne fez filmes que vão desde o romance, passando pelas comédias, chegando a filmes de super heróis. Sou fã! 

Conheci o trabalho da atriz com o Diário da Princesa (baseado em livros da Meg Cabot ♥) e me encantei com a atuação dela em O Diabo Veste Prada (um dos meus favoritos). E desde então quando vejo um cartaz com o nome dela estampado, fico doidinha pra assistir o longa. 

Mais sobre a atriz: Nova iorquina do Brooklyn, Anne começou como atriz nos teatros e aos 17 anos já estreava na TV. O divisor de águas da sua carreira foi o filme O Diabo Veste Prada, de 2006. Depois disso, nunca mais parou: já soma 32 filmes e 3 séries como atriz e um filme e uma série como produtora. 

O post sobre filmes de hoje traz três filmes incríveis que a Anne atua brilhantemente, e meu coraçãozinho de fã ficou apertada de escolher só três. 

O Diabo Veste Prada


Esse vídeo não é o trailer oficial do filme, mas dá uma ótima ideia do que se passa nele. Sei boa parte das falas e sempre acho a história muito divertida, não importa quantas vezes eu tenha assistido. 

Sinopse: Andrea Sachs é uma jovem que conseguiu um emprego na Runaway Magazine, a mais importante revista de moda de Nova York. Ela passa a trabalhar como assistente de Miranda Priestly , principal executiva da revista. Apesar da chance que muitos sonhariam em conseguir, logo Andrea nota que trabalhar com Miranda não é tão simples assim.

Um dia 


Esse filme é tão bonitinho. Fico o filme inteiro com pena de todo mundo, mas não deixa de ser um filme amável. 
Sinopse: Emma e Dexter se conheceram na faculdade, em 15 de julho. Esta data serve de base para acompanhar a vida deles ao longo de 20 anos. Neste período Emma enfrenta dificuldades para ser bem sucedida na carreira, enquanto Dexter consegue sucesso fácil, tanto no trabalho quanto com as mulheres. A vida de ambos passa por várias outras pessoas, mas sempre está, de alguma forma, interligada.



Interestelar


Lembro do burburinho que esse filme causou quando foi lançado e que até a Jout Jout fez um vídeo sobre ele. A temática é bem diferente do que é minha zona de conforto para filmes, mas é muito incrível. Acho a fotografia e o áudio (não sei porque justo o áudio) muito bem feitos. 

Sinopse:Após ver a Terra consumindo boa parte de suas reservas naturais, um grupo de astronautas recebe a missão de verificar possíveis planetas para receberem a população mundial, possibilitando a continuação da espécie. Cooper  é chamado para liderar o grupo e aceita a missão sabendo que pode nunca mais ver os filhos. Ao lado de Brand, Jenkins e Doyle, ele seguirá em busca de uma nova casa. Com o passar dos anos, sua filha Murph investirá numa própria jornada para também tentar salvar a população do planeta.

E vocês, quais filmes da Anne Hathaway vocês mais gostam? 

p.s.: Todas as sinopses desse post foram retirados do site Adoro Cinema